domingo, 30 de novembro de 2008

Julgar

É tao fácil julgar. E tão injusto.

Às vezes, falamos sem pensar. Dizemos o que achamos e o que não achamos, só para mostrar que temos uma posição e uma opinião. É tao fácil falar. Mas por vezes, mais vale não dizer nada, estar calado. Porque, sem saber, posso estar a entrar no espaço do outro, espaço esse para o qual não fui convidada. Então porquê forçar a porta?
Desde sempre me habituei a comentários, mas não me importa mais. Mas isso não me dá o direito de fazer o mesmo. Então, porquê tentar marcar a minha posição, impor a minha rebeldia sem um fundamento? Fundamentar-me na futilidade? Para mim é um argumento, mas até que ponto verdadeiro?
Quantas pessoas se escondem atrás de objectos e de coisas para sofrerem em silêncio, no mais íntimo do seu ser?

Não quero mais forçar a entrada no espaço dos outros

2 comentários:

Manjerico disse...

Beem... Se não és bem vinda,porque achas que deves continuar a tentar abrir uma porta que não querem que abras? Não será um melhor dispendio das tuas energias abrires portas onde do outro lado és bem vinda? Eu diria que sim e sem dúvida que refuto de longe a ideia de te deixares cair na futilidade e qsuperficialidade das relações. Creio que dessa maneira ninguém realmente vive.

bjufa.

Mithrain disse...

Nao me referia a mim neste post, apenas o escrevi na primeira pessoa para ser mais expressivo. Mas obrigada pela visita :)
Bjo, Mariana